Biblioteca de Aprendizado Médico

Ultima atualização: March 30, 2021

Guia do SAVC sobre a dengue.

Guia do SAVC sobre a dengue.

A dengue é uma preocupação emergente em Saúde Pública, com dois quintos da população mundial com risco de infecção. É uma doença viral transmitida principalmente pela picada de uma fêmea infectada do mosquito da espécie Aedes aegypti (figura 1) e da espécie Aedes albopictus.

Existem cinco sorotipos do vírus da dengue: DENV-1, DENV-2, DENV-3, DENV-4 e DENV-5. Uma pessoa infectada por um dos sorotipos fica imune por toda a vida contra essa cepa específica, mas não é protegida contra os outros quatro sorotipos.

Mosquito Aedes aegypti

Figura 1. Aedes aegypti é o vetor que carrega o vírus.

Transmissão do vírus da dengue

Os mosquitos são necessários para a transmissão do vírus — ele não pode ser transmitido diretamente de pessoa para pessoa. Um mosquito que transmite o vírus é conhecido como vetor.

No entanto, nem todos os mosquitos espalham dengue, apenas aqueles que já picaram uma pessoa infectada (figura 2). Depois que um mosquito é infectado, ele pode continuar a espalhar o vírus por toda a sua vida, que é de aproximadamente 3–4 semanas.

Nos seres humanos, existem dois períodos de interesse quando se trata de transmissão: o período de incubação, que marca o início dos sintomas; e o período de latência, o período entre a infecção e quando a pessoa pode espalhar a doença.

O período de incubação (4–10 dias) fornece uma estimativa aproximada do período de latência, pois a maioria dos indivíduos se torna transmissor da doença dentro de 24 horas antes ou após o início dos sintomas. Uma vez infectada, uma pessoa pode transmitir a a doença, através dos mosquitos Aedes, por 4–5 dias (por no máximo 12 dias).

Mosquito Aedes aegypti

Figura 2. Ciclo de transmissão da dengue: um mosquito saudável pica um ser humano infectado pela dengue e, assim, torna-se infectado pelo vírus. Esse mosquito doente pica um ser humano saudável e transmite o vírus através da picada. A partir de então, o ciclo se reinicia.

Apresentação da Dengue

Após o período inicial de incubação, aqueles que foram infectados pelo vírus da dengue podem ser assintomáticos ou passar por três formas da doença:

Os Centers for Disease Control and Prevention (CDC) (2016) observaram que até 75% de todas as infecções por DENV são assintomáticas, ou seja, não apresentam sinais ou sintomas clínicos da doença.

A dengue sintomática geralmente se apresenta como uma doença febril inespecífica, leve a moderada, aguda; no entanto, até 5% das infecções por dengue evoluem para uma doença grave e com risco de vida — Febre Hemorrágica da Dengue ou Síndrome do Choque da Dengue.

As formas graves geralmente se manifestam após uma fase febril que dura entre 2 a 7 dias e geralmente são precedidas por sinais de alerta.

Sintomas da dengue

pessoas com sintomas de dengue

Como os achados clínicos são inespecíficos, saber reconhecer os sinais de alerta de infecção grave pode reduzir o risco de morte entre pacientes com dengue grave.

Febre Inespecífica

A febre inespecífica pode imitar outras doenças agudas com febre — ela não atende aos critérios de definição de caso para a dengue. É difícil diagnosticar com base apenas em um exame físico e em testes de rotina. A menos que um teste específico de diagnóstico da dengue seja realizado, o diagnóstico permanece desconhecido.

Dengue Clássica

A dengue clássica é a forma mais comum e menos grave do vírus. Começa com um início repentino de febre alta, que geralmente dura entre 3 a 5 dias, e é acompanhada pelos seguintes sintomas:

Febre Hemorrágica da Dengue (FHD) ou Síndrome do Choque da Dengue (SCD)

A terceira apresentação clínica é a FHD, que pode evoluir para SCD . Os primeiros sintomas da febre hemorrágica da dengue são semelhantes aos da dengue clássica, porém, de 5 a 7 dias após o início dos sintomas, elas evoluem podendo incluir os seguintes sinais de alarme:

A progressão mais grave da dengue é a Síndrome do Choque da Dengue. É caracterizada por hipotensão grave causada por hipovolemia (ou baixo volume sanguíneo) devido desidratação grave.

Durante o choque a temperatura cai, o que pode levar alguns a acreditar que a pessoa está se recuperando, sendo que esse é o período crítico em que os cuidadores devem estar mais atentos. Sem cuidados de suporte imediatos e adequados, sua taxa de mortalidade é superior a 20%; felizmente, esse não é o cenário mais comum.

O CDC ilustra as três fases da infecção pela FHD na figura 3, que incluem:

pessoas com sintomas de dengue

Figura 3. Fases de infecção resultando em DHF (CDC, 2014).

Epidemiologia

A dengue é uma doença que se espalhou ao longo do tempo. Atualmente, está presente em 128 países e é encontrada principalmente em áreas tropicais e subtropicais ao redor do mundo (figura 4). Nas últimas 4–5 décadas, a incidência de dengue no mundo aumentou significativamente.

Os casos de dengue são subnotificados e muitos casos são classificados incorretamente.

Estima-se que 390 milhões de pessoas são infectadas pela dengue a cada ano, das quais 96 milhões se manifestam clinicamente. A cada ano, cerca de 500.000 pessoas evoluem para dengue grave; uma grande proporção desses casos são crianças.

Cerca de 2,5% de todos os casos são fatais.

Mapa-múndi traçando casos de dengue

Figura 4. Risco de infecção por dengue em todo o mundo. Vermelho indica o maior risco de ser infectado.

Você está planejando viajar para a América Central ou do Sul? Ásia? África?

Antes de viajar para áreas onde a dengue é endêmica, é importante tomar algumas precauções:

Entre o final de 2015 e o início de 2016, o uso da primeira vacina contra a dengue, Dengvaxia (CYD-TDV) ou Chimerivax, foi aprovado em vários países para pessoas de 9 a 45 anos que vivem em áreas endêmicas. A descoberta de DENV-5 e outras cepas semelhantes no futuro pode prejudicar a Iniciativa de Vacina contra a Dengue (já que a vacina é contra os primeiros sorotipos descobertos).

Existem outras vacinas vivas atenuadas que estão atualmente em fases de desenvolvimento e ensaios clínicos. Atualmente, a OMS recomenda a vacinação contra a dengue apenas em áreas onde os dados sinalizam alta incidência da doença.

O Que Acontece Se Eu Ficar Doente Com Dengue Durante Minha Viagem?

Se houver suspeita de dengue, você deve consultar um médico na região em que está visitando, o mais rápido possível.

Atualmente, não há tratamento específico para a dengue, mas a detecção precoce e os cuidados médicos reduzem as taxas de mortalidade abaixo de 1%.

Líquidos, orais e intravenosos, são fornecidos para evitar a desidratação, e o paracetamol ou dipirona sódica são usados para tratar a febre alta. É crucial evitar tomar aspirina, ibuprofeno ou naproxeno, pois eles podem aumentar os problemas de sangramento.

A condição geralmente dura uma semana ou mais e normalmente não leva ao óbito.

Se você ficar doente durante a viagem, considere prolongar a sua estadia até se recuperar completamente.

Depois da sua viagem

Se você desenvolver sintomas relacionados à dengue, é importante que você visite seu médico para descartar a infecção por dengue. Você pode confundir os sintomas com uma doença aguda ou gripe, mas lembre-se de que, se você vem de uma área onde a dengue é endêmica, é possível que esses sintomas indiquem a presença de dengue. No entanto, não se preocupe, com os devidos cuidados, descanso e hidratação, você pode se recuperar dentro de alguns dias.

Paciente com dengue

O SAVC prepara os prestadores de cuidados de saúde e identifica qualquer processo de doença através de um padrão de cuidados de rotina. Os “H”&”T” são uma parte essencial do SAVC que lembra os profissionais de saúde a procurar as causas reversíveis da parada cardíaca (PCR). A dengue deve ser considerada uma possível causa de PCR enquanto estiver realizando o SAVC para salvar vidas.

Referências

https://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs117/es/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4297835/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3097561/#st1

https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0050972

https://www.passporthealthglobal.com/mx/medicina-del-viajero/prevencion-de-dengue/

https://www.amse.es/index.php?option=com_content&view=article&id=86:dengue-epidemiologia-y-situacion-mundial&catid=42:inf-epidemiologica&Itemid=5

© 2007 Nature Publishing Group Adaptado de Whitehead, S. S. et al. Perspectivas para uma vacina contra o vírus da dengue. Nature Reviews Microbiology 5, 518–528 (2007). Todos os direitos reservados.

https://www.healthmap.org/dengue/en/

https://wwwnc.cdc.gov/travel/yellowbook/2016/infectious-diseases-related-to-travel/dengue

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19052309

https://www.laizquierdadiario.com/Dengue-Argentina-atraviesa-su-peor-epidemia

https://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs117/en/

Revisado e atualizado por em May 24, 2020

Dra. Náthalie Puliti Hermida Reigada é médica com experiência em pronto-socorro e na área administrativa. Sua verdadeira paixão é estudar Medicina e outras línguas, como inglês e alemão.

Esse artigo foi útil?