Biblioteca de Aprendizagem Médica

Ultima atualização: March 30, 2021

Primeiros socorros para pessoas com diabetes

Primeiros socorros para pessoas com diabetes

Kit de primeiros socorros

Kit de primeiros socorros3dman_eu/Wikimedia Commons/CC0 1.0)

Mais de 30 milhões de pessoas nos EUA tem diabetes. De acordo com o Relatório Nacional de Estatísticas de Diabetes, esse crescimento se correlaciona com o aumento de visitas ao Pronto Socorro de pessoas em situações de risco de morte. À medida que a condição continua a aumentar, aumenta também a probabilidade de prestar primeiros socorros a alguém com diabetes.

Noções básicas sobre diabetes

Os prestadores de primeiros socorros têm escolhas importantes a fazer antes de prestar assistência a uma pessoa com diabetes. A melhor maneira de gerenciar efetivamente uma emergência que envolve uma pessoa com diabetes é entender os mecanismos por trás da condição médica.

Cada célula do corpo requer glicose como base de energia. Pessoas com diabetes, também precisam de glicose como fonte de energia, porém, tem uma incapacidade de processar ou metabolizar eficientemente a glicose porque o pâncreas está produzindo muito pouca insulina ou nenhuma. Sendo assim, a glicose pode acumular-se a níveis perigosamente altos. Um pâncreas saudável (link em inglês) regula a produção de insulina proporcional à quantidade de glicose no sangue.

Classificação do diabetes

O diabetes tipo 1 é principalmente uma condição auto-imune que se manifesta em crianças e adultos jovens. Essas pessoas não produzem insulina portanto uma rotina de injeções de insulina (link em inglês) é necessária para ajudar no metabolismo da glicose. Sem injeções de insulina, uma pessoa com diabetes tipo 1 não consegue utilizar o açúcar do sangue para obter energia.

Pessoas com diabetes tipo 2 produzem pequenas quantidades de insulina ou não conseguem usar adequadamente a insulina, fenômeno conhecido como resistência periférica à insulina. Essa condição geralmente se desenvolve mais tarde na vida. Muitas pessoas com diabetes tipo 2 usam dieta, exercício e outros medicamentos para controle da glicemia. Algumas pessoas com diabetes tipo 2, no entanto, podem precisar de insulina suplementar.

O que é uma emergência diabética?

Com 6 milhões de pessoas utilizando insulina nos Estados Unidos, a incidência de uso de insulina em excesso é uma ocorrência comum com risco de morte.

A revisão de sinais e sintomas de hipoglicemia versus hiperglicemia ajuda a remover o desafio de determinar se o açúcar no sangue de uma pessoa é muito baixo ou muito alto.

Hipoglicemia

A hipoglicemia ocorre mais rapidamente do que uma emergência hiperglicêmica (níveis de glicose no sangue abaixo de 70 mg / dL ou 3,9 mmol / L). Quando o cérebro está sedento de glicose vital, segue-se a inconsciência, e possivelmente a morte. A Associação Americana de Diabetes relata mais 107.000 emergências hipoglicêmicas em 2011 em comparação com crises hiperglicêmicas.

Razões para hipoglicemia:
Sinais e sintomas:

Hiperglicemia

Cetoacidose diabética

A cetoacidose diabética (CAD) é uma condição grave, geralmente resultante da hiperglicemia (aumento da glicemia acima de 130 mg / dL ou 7,2 mmol / L). Muitos especialistas aconselham a verificação de cetonas na urina quando a glicose no sangue é superior a 240 mg / dl ou 13,3 mmol / L. Se não for tratado, pode levar ao coma ou à morte.

Na CAD, o corpo passa a usar a gordura como combustível, como ocorre em nosso metabolismo normal durante o jejum. Quando a glicose não está disponível, o corpo decompõe a gordura para usar como energia, e produz cetonas. Isso acontece quando o corpo não possui insulina suficiente para disponibilizar glicose às células para obter energia.

Razões para aumento da quantidade de cetonas:

A CAD geralmente se desenvolve lentamente. No entanto, quando ocorre vômito, essa condição com risco de morte pode se desenvolver dentro de algumas horas.

Sinais e sintomas de alarme:
Sinais e sintomas progressivos:

Síndrome Hiperosmolar Hiperglicêmica (SHH)

A síndrome hiperosmolar hiperglicêmica (SHH) é uma complicação potencialmente fatal da diabetes tipo 2. A SHH difere da CAD, pois envolve glicose no sangue extremamente alta sem a presença de cetonas. Em casos incomuns, pode ocorrer um acúmulo de cetonas, mas geralmente moderado.

O SHH é uma condição que pode ser causada por doenças estressantes, como infecção, ataque cardíaco ou derrame, medicamentos que afetam o nível de insulina, diuréticos e condições que aumentam a perda de líquidos. A perda de líquidos torna o sangue mais concentrado do que o normal resultando em hiperosmolaridade sanguínea. Como o sangue possui uma alta concentração de sódio, glicose e outras substancias, a água é retirada dos órgãos vitais do corpo, incluindo o cérebro.

Sinais e sintomas:
Sinais e sintomas progressivos (a condição pode progredir em dias ou até semanas):

Reconhecimento e ação

Saber se uma pessoa tem diabetes é crucial ao prestar os primeiros socorros. Frequentemente indivíduos com diabetes usam ou carregam uma identificação pessoal (como uma pulseira) para alertar os prestadores de primeiros socorros sobre sua condição. Além disso, uma pessoa com diabetes pode ter uma fonte de açúcar prontamente disponível, como gel de glicose ou comprimidos.

Um processo simples quase certamente revelará um plano de ação corretiva para os primeiros socorros. Se a pessoa estiver consciente, pergunte:

Se alguém não tomou sua medicação e comeu normalmente, provavelmente terá hiperglicemia.

Alguém que não comeu mas tomou seus medicamentos pode ter hipoglicemia.

A hipoglicemia é mais prevalente que a hiperglicemia. O corpo queima energia constantemente; teoricamente, as pessoas são mais suscetíveis à hipoglicemia. Indivíduos ainda não diagnosticados com diabetes são mais propensos a desenvolver hiperglicemia, pois não possuem glicosímetro ou medicamento para tratamento.

Hipoglicemia

O prognóstico da hipoglicemia depende da causa, gravidade e duração. O prognóstico é excelente se identificado e tratado precocemente. Se não tratada, a hipoglicemia leva a convulsões ou inconsciência.

Se uma pessoa está com nível de consciência preservado, dê açúcares simples. Não dê a uma pessoa inconsciente comida, líquidos nem coloque as mãos na boca dela.

Etapas a serem seguidas para uma pessoa consciente que exibe hipoglicemia:

Exemplos de 15 gramas de açúcar simples:

Algumas pessoas podem ter um kit de glucagon (link em inglês) prescrito pelo seu médico para emergências hipoglicêmicas. O glucagon é um hormônio que provoca o fígado a liberar glicose armazenada na corrente sanguínea quando os níveis de glicose no sangue estão muito baixos. Se for necessário glucagon, siga as instruções do fabricante.

Cetoacidose diabética (CAD) e síndrome hiperosmolar hiperglicêmica (SHH)

O tratamento de primeiros socorros para CAD e SHH é simples — o paciente precisa de assistência médica urgente.

Em qualquer emergência, é importante responder rapidamente. Um plano de ação de emergência é uma boa maneira de simplificar o atendimento.

  1. Fique calmo
  2. Avalie a pessoa e a cena
  3. Notifique os serviços de emergência se uma pessoa estiver inconsciente ou não responder
  4. Siga o procedimento padrão de primeiros socorros — se não responder, verifique a circulação, as vias aéreas e a respiração (C-A-B).
  5. Se uma pessoa estiver inconsciente, respirando e não tiver outras condições com risco de vida, coloque-a em uma posição de recuperação (link em inglês).
  6. Se inconsciente e apresenta condições de risco de vida, coloque-o em uma posição supina(link em inglês), horizontalmente de costas, em uma superfície plana e administrar RCP(link em inglês).
Sinais e sintomas Hiperglicemia Hipoglicemia
História Alimentos ricos em açúcar consumidos, alimentos consumidos excessivamente, medicamentos não administrados Pulou refeições, altos níveis de atividade, muita medicação
Início Gradual, lento Rápido
Sinais e sintomas Sede, náusea, sintomas de desidratação, micção excessiva, possível dor abdominal, boca seca Fome, fraqueza, dor de cabeça, tremores, dormência nas mãos e nos pés, marcha instável
Resposta Perda de consciência inquieta, agressiva e gradual Inquietude, agressividade, irritabilidade, sonolência, confusão
Respiração Respirações rápidas e profundas, suspiros, possível hálito doce Normal a rápido, inodoro
Circulação Taquicardia, pulso fraco rápido, pele quente e seca Pulso rápido, fraco, pele pálida e pegajosa
Tratamento Se consciente e cooperativo, ajude na medição da Algumas pessoas com diabetes terão fonte de açúcar, que pode ser glicose no sangue e na medicação. Ligue para os aplicada oralmente (na parte interna da bochecha) ou serviços de emergência se a pessoa não puder ajudar engolindo. Não insira os dedos na boca de alguém. Considere usar um nessa tarefa ou se estiver inconsciente. Nunca fique abaixador de língua, uma caneta ou qualquer outra coisa, desde que não tentado a injetar insulina. Você pode facilmente represente um risco de asfixia. Se a pessoa estiver inconsciente, priorize e matar alguém. ligue para os serviços de emergência

Kit de primeiros socorros

Vale a pena colocar uma fonte de glicose no seu kit de primeiros socorros, especialmente se você trabalha com uma pessoa com diabetes ou trabalha em um trabalho fisicamente exigente. Hipoglicemia pode ocorrer mesmo se uma pessoa não tiver diabetes. Sentir-se fraco, sudoreico, cansado, irritado e com fome acontece quando os níveis de açúcar no sangue caem.

De fato, como a hipoglicemia é tão comum e fácil de diagnosticar, a hipoglicemia deve ser a primeira possibilidade de verificar se alguém está desorientado.

Recursos

Conversor de açúcar no sangue (link em inglês)

Estatísticas de Diabetes (link em inglês)

Diabetes tipo 1 (link em inglês)

Diabetes tipo 2 (link em inglês)

Glucagon (link em inglês)

Cetoacidose diabética (CAD) e cetonas (link em inglês)

Hyperglycemic Hyperosmolar Nonketotic Syndrome (HHNS) (link em inglês)

Tratamento de HHS (link em inglês)

Diabetes no departamento de emergência (link em inglês)

Diabetes no departamento de emergência: atendimento agudo a pacientes com diabetes (link em inglês)

Mitos sobre diabetes (link em inglês)

Fatos rápidos (link em inglês)

Revisado e atualizado por em Jun 7, 2020

Dra. Náthalie Puliti Hermida Reigada é médica com experiência em pronto-socorro e na área administrativa. Sua verdadeira paixão é estudar Medicina e outras línguas, como inglês e alemão.

Esse artigo foi útil?